Projeto prepara instalação da Casa da Memória em Paranapiacaba
Atividade contará com participação da comunidade e de convidados estrangeiros

Santo André (SP) – O Clube União Lyra Serrano recebe, na próxima terça-feira (7) os participantes do Projeto Colaborativo Casa da Memória – Núcleo da Memória Audiovisual da Paisagem Humana de Paranapiacaba, com curadoria da artista visual e pesquisadora Lilian Amaral, doutoranda em Artes pela ECA/USP. A atividade acontece das 14 às 17h e terá como convidado o professor argentino residente em Barcelona Daniel Toso, arquiteto e artista visual. O projeto é aberto a todos os interessados na questão.

Neste dia os monitores e artesãos que desenvolvem trabalhos na vila, bem como representantes da Casa do Olhar, participam do encontro, que terá como tema “Arte, Criatividade e espaço público”. Os encontros do projeto prosseguem até o fim do ano e visam a instalação da Casa da Memória, na Casa Fox, que abrigará a memória dos moradores.

A próxima atividade do projeto está prevista para os dias 14, 21 e 28 de agosto, com a participação da argentina Elizabeth Chanampa, diretora e produtora de cinema. Na oportunidade o tema será “Documentário: texto-imagem. Oralidade, memórias, fragmentos”.

A artista visual e pesquisadora Lílian Amaral abordará o tema “Paisagem Revelada: A Percepção e o caminhar como prática Estética. Cartografias, Percursos, Territórios” nos dias 11 e 18 de setembro. Antecipando tais encontros, dia 04 de setembro, o artista multimídia Rogério Nagaoka – membro do Espaço Coringa – ministrará workshop abordando mediações da arte no espaço público por meio da imagem fotográfica.

Em outubro o tema do encontro será “Arqueologia da Memória: uma micro-história no tempo e no espaço. Imaginários Urbanos: mediações entre história pública e imagens privadas”, com a participação da arte- educadora e professora da ECA–USP, Ana Mae Barbosa, do superintendente regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), José Saia Neto, e de Edgard Assis Carvalho, professor da PUC/SP e ex-presidente do Condephaat.

No mês de novembro o tema será “Atuações no Espaço Público. 24 Horas: Una Linea en la Ciudad. Interações artísticas e não-artísticas no espaço público”, com a participação de Daniel Toso, Lílian Amaral, do videodocumentarista André Costa, bem como de representantes da comunidade de Paranapiacaba e convidados.

Depois deste encontro, será feita a inauguração a Casa da Memória, em data a ser definida. O Projeto Colaborativo Casa da Memória – Núcleo da Memória Audiovisual da Paisagem Humana de Paranapiacaba é uma realização da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense.

Museu a céu aberto

A vila de Paranapiacaba foi construída a partir de meados do século XIX quando da construção da ferrovia que ligou Santos a Jundiaí. O local é um patrimônio histórico tombado pelo IPHAN e pelos conselhos de patrimônio em nível estadual e municipal. Adquirida em 2002 pela Prefeitura Municipal de Santo André, a vila passou a receber uma série de melhorias no sentido de preservar este patrimônio.

Neste período a vila passou a contar com um circuito temático que resgata a história local. O circuito, considerado um museu a céu aberto, é composto pelo Museu Castelo, que abriga o acervo da história da vila e da ferrovia, o Clube Lyra Serrano, que mantém a patrimônio sócio-cultural, o Centro de Visitantes, com informações sobre o Parque Natural Nascentes de Paranapiacaba e o Centro de Referência em Arquitetura e Urbanismo da vila, que mantém informações sobre a arquitetura e urbanismo da vila. A Casa da Memória é a última atração do circuito.

A implantação da Casa da Memória foi possível graças aos recursos provenientes do IPHAN através do concurso nacional para a modernização de museus. O projeto foi apresentado através da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense, em parceria com a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura.

O projeto de Santo André concorreu com outros 328 de todo o País. Destes, 37 foram aprovados. No Estado de São Paulo, além de Santo André, somente o Museu de Arte de São Paulo foi contemplado. O valor total do projeto é de R$ 91 mil, sendo R$ 60 mil do IPHAN, e R$ 31 mil de contrapartida da Prefeitura.

O projeto foi apresentado através da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense, em parceria com a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura. O projeto fez parte da terceira edição do Edital de Modernização de Museus.

Marcos Imbrizi
Assessoria de Imprensa

mlimbrizi@santoandre.sp.goc.br

Anúncios

0 Responses to “release”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: